domingo, 29 de dezembro de 2013

A ONDA

Veio uma onda no mar
Uma onda me molhou,
A onda lá do mar
numa pedra se chocou

Essa wave (onda)
saiu sutil
numa brisa suave
e todo mundo a viu

Essa onda saiu
Por esse lindo país
chamado Brasil
Buscando por onde passava
A todos muito feliz.

De João Paulo,meu querido irmão aos 12 anos.



Ensinamentos da teoria Marxista

O que aprendo na faculdade
Talvez lá fora eu não veja,
Eu li que no período da Modernidade
O Brasil viveu a autocracia burguesa.

Foi um período amargo
para todo povo brasileiro,
Os generais estavam na presidência,
Conseguiram dar um golpe certeiro
Na nossa fraca independência...

Era primeiro de abril de 1964,
O Golpe se instalou,
Não pensem que minto esse fato,
O General Castelo Branco governou!

Para explicar um pouco essa história,
Vou falar de alguns conceitos,
Vou puxando da memória
o que José Paulo Netto descreveu desse preceito:

Para concretizar o projeto capitalista
Era necessário uma ditadura,
Mudaram a educação, a cultura,
Prenderam os comunistas...

Criaram os Atos Institucionais
para ditar suas regras,
Fecharam muitos jornais
que criticavam o governo e suas peças.

O Brasil escancarou suas portas
para o capital estrangeiro, monopolista,
Fortalecendo o imperialismo norte-americano
que apoiavam o governo militarista...

Nesse tempo as forças populares se organizavam:
Eram as Ligas Camponesas, estudantis,
Partidos de esquerda não se calaram
mesmo sabendo que a força do Estado eram os fuzis,
Os movimentos se mobilizaram e lutaram.

Foram vinte e um anos de governo ditatorial
Aumentando a pobreza e a riqueza da burguesia,
O que faria o Serviço Social nesse período de autocracia?


baseado no livro Ditadura e Serviço Social de José Paulo Netto

MARA FARIAS

A VIDA



A vida é um baú de lembranças do passado,
Que mantém tudo que vivemos guardado ...
A vida é o Sol que brilha todas as manhãs,
Mesmo sob neblina, nublado ...

MARA FARIAS 

QUERIDA ALEGRIA

Você me sorri e eu retribuo,mas às vezes você some e parece não querer voltar, parece a sombra de um coração que só faz chorar. Porque não vens e fica aqui comigo,para sempre? Me fazendo feliz com os sons da natureza, me alegrando com esse olhar jovial? 
Eu gosto tanto de você... Mas você fica pouco, como uma nuvem de chuva passageira me banhando de esperanças e passando rápido para não me encharcar de felicidade...
Eu te quero aqui comigo,sorrindo o tempo todo, brincando e cantando, fazendo zoada por aí... Você não se chama Alegria? Vem, me faz feliz!
Me faz sorrir de saudade das coisas boas, dos momentos da infância, das companhias saudáveis, das festas e dos encontros engraçados... Mas não vá embora, a Tristeza não é boa amiga, e me perturba quando você sai, afasta ela da minha vida e fica de bom grado.

MARA FARIAS

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

PARA UMA NOVA MULHER

Te quero ...
Com todas as agonias
E todas as tarefas
Que te prendem e não te sossegam

Te quero ...
Mesmo com o tempo
Às vezes escasso
Que deixa a presença em segundo instante.

Fico a espera do abraço
Que consola a saudade,
No mesmo momento
Que a paciência
Se instala e diz
Que o mais importante
É revolução.


Fernandinho Régis 

*Daquilo que se cultiva no coração,amo você!


quinta-feira, 7 de novembro de 2013

O QUE A FELICIDADE FAZ


Tornei meus dias felizes...
Resolvi estar em estado 
de gozo e bem viver...
Porque só eu poderia
me fazer assim,me refazer...
Só eu, dentro de mim,
poderia dizer e mostrar
o quanto feliz eu sou!
Eu sabia desde o princípio!
É que às vezes ou quase sempre
as pessoas necessitam da tristeza,
Mal sabem que amar
é amar todas as pessoas,
É querer estar em movimento,
Correr, cantar,sentir o vento,
É tomar muitos porres de alegria,
Diariamente...
Eu busquei conhecer as pessoas,
Profundamente...
Porque a vida real bate à porta,
como um raiar de Sol que nos ilumina.

MARA FARIAS

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

AS BRUXAS QUE HABITAM EM MIM

Sou bruxa em casa,
Sou bruxa ao ler tua poesia,
Sou bruxa do raiar do sol
ao fim de todos os dias...

Sou bruxa presa pela inquisição,
Queimem a bandida!
Sou escrava açoitada pela escravidão,
Amarrem a destemida!
Sou puta marcada pela opressão,
Batam nessa pervertida!
Sou militante tortura pela ditadura,
Estuprem essa corrompida!

Sou tudo o que você vê e não quer enxergar,
Sou tudo isso,e não tente me negar,
sou foice amolada na caatinga,
sou índia resistindo contra mina,
Sou a cultura inflamada,
sou sua história,doce menina!
Sou arma contra opressão,
Somos a luta, somos revolução!

Depois de me tornar feminista...


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

SOM DE DENTRO


O som embala teu corpo de moleque,
A música é envolvente,meu bem...
Cada nota te acalma e estremece
O coração que transparece o bem.

Segue o som numa entoada viajante,
Parece ser você e o instrumento,
Tocando numa noite interessante
O som que não sai do pensamento.

Você dança agarrado às notas,
A moçada canta,dança e suspira,
Nem dá vontade de ir embora
A canção que nos grita ...

Ai tocador...que canto encantador!

Pega teu instrumento,e sai por aí dizendo
o que você necessita expressar ...
A música é tua vida,teu momento
A música também pode nos mudar.

MARA FARIAS







quarta-feira, 16 de outubro de 2013

ENTENDEI A UNIDADE

A luta busca naturalmente a unidade,
Queremos dias maiores e melhores...
A luta busca nos outros a fraternidade,
Queremos dias de acenso, de povo forte...

Já dizia uma antiga palavra de ordem,
O povo unido jamais será vencido!
E digo mais:
- O povo unindo jamais estará perdido!

É só na luta que construímos um Brasil novo,
É só mobilizando,organizando,crescendo ...
Jovem da periferia,jovem da universidade,
Jovens trabalhadores, o povo em unidade.

Entendei a unidade...gente sofrida:
É com ternura que se chega na classe,
É com entendimento das contradições,
A força popular é o que vale
Pra acabar com a exploração dos patrões!

MARA FARIAS

*Em dias de lutas,pelejas.






quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O SOM DA LIBERDADE

As músicas que escuto hoje não fazem mais sentido,
O bem-me-quer,mal-me-quer de arrancar pétalas
Já não me representa como algo que soa bonito,
As músicas e poesias de amor eterno e de servidão
Não, não,não... Não quero pro meu liberto coração.

Posso sentir saudade e amar profundamente,
Mas não será com ''eu estou louca e perdida sem você'',
Posso viver uma paixão intensamente,
Mas não diga que '' quero te ter pra sempre.''

Posso dizer que amo e quero bem,
Mas não diga que morrerá de amor,
Posso demonstrar mil sentimentos,
Mas não me diga que sou apenas sua.

E tudo isso que escutamos pode soar falso
Se não for vivido verdadeiramente,
Se necessitares dos postes curtidos,
De presentes nas ruas movimentadas
Ou dos manuais de amores bem vividos...

Entendes o que eu digo?

A gente não precisa sofrer nem morrer,
Não precisa prometer nem fazer escolhas,
Não tirais o direito de amar com prisão,
Não somos propriedade,somos carne,
Amar é também transformação...

Estou falando de amor... E nada mais!

MARA FARIAS

Ame-o e deixe-o livre para amar... (Doces Bárbaros)






OS SANTOS DE TODOS OS TEMPOS












Nome de brasileiro pobre,
Lembra nome de santo,
Nasceu no Rio Grande do Norte,
E veio como Carlos, Patrícia,
Aurora, Hornestino...
Desses santos que a vida
Marcou como esse menino...

Esse é daqueles santos
que pensa as gerações futuras,
É daqueles tantos e tantos
que ousou modificar as estruturas...

Santos em nome de toda a antiga geração,
Santos em nome dos que acreditam,
Santos em nome da revolução,
Santos em nome dos que chegam.

Vim aqui homenagear
O militante do Movimento Estudantil,
Lutou pela educação,causa popular,
O herói do nosso pobre Brasil.

Emanuel Bezerra dos Santos,
Nos deixou disciplina,poesia,
Nos deixou a vontade de lutar,
Coragem, exemplo,alegria...

MARA FARIAS






terça-feira, 24 de setembro de 2013

O POTENGI (VISTO DE FELIPE CAMARÃO)


Lá de cima do morro te vejo brilhando,
águas calmas e escuras no fim da tarde,
sei da tua história natural 
e teu nome lembra o nosso ancestral,
Poti, Rio dos camarões...

O ribeirinho veleja em busca do alimento,
Acorda cedo, antes do sol aparecer
E trabalha até o céu alaranjar,
O ribeirinho observa o mar...

O ribeirinho somos nós, que atravessa a ponte
para o trabalho,para a vida, para o estudo...
a gente perde a voz ao ver aquela fonte...
o vento do entardecer nos deixa mudo...

Para quem nunca viu,
Está perdendo o povo de lá,
É gente como a gente
Trabalhador,jovem,mulher...
É gente vindo de todo lugar,
Você nunca viu o que tem depois da maré?


O POTENGI (VISTO DO OUTRO LADO DA PONTE)

Está em mim, está em você, 

Está em todo lugar,

É a nossa história

O grande rio potiguar.

Os índios aqui viveram 

E foram dizimados,

Os camponeses vieram

E este espaço ocuparam.


Aqui tem muita contradição


Falta MUITO, falta direito,

Mas a gente quer a transformação

Para o trabalhador pesqueiro.

Te vejo Potengi, alimento da população

Eu me vejo no teu espelho

São águas escuras e brilhantes,

O por do sol nos ilumina...

Estar do outro lado da ponte

É saber que a labuta é todo dia.


MARA FARIAS 

*Conhecendo outros lugares...






quarta-feira, 11 de setembro de 2013

ÍNDIA TAMBÉM SOU

Sou filha de Poti,o índio Felipe Camarão,
Nasci nas escuras águas do Potengi,
das entranhas de Clara Camarão.

Sou curumim,baobá,
Eu vim lá de Sagi,
A índia Potiguar.

Sou caramuru,Guarani Kaiwoá,
Sou do Norte ao Sul,
Os remanescentes de Açu,
Já não estão mais lá...

Meu verbo é Tupi,
Língua da minha história,
Os livros pouco falam daqui,
O que sei está na memória.

Sou Tapuia do interior,
Pele escura e cabelo enrolado,
O curioso desbravador 
Destruiu o nosso reinado.

Sou resistência, mulher 
Tenho sangue da grande nação,
Ainda não destruíram o toré 
que canta revolução!

MARA FARIAS






segunda-feira, 12 de agosto de 2013

SABOR DE SAUDADE

Já troquei muitos beijos na semana, 
Mas nenhum se compara ao seu,
Sai procurando alguns abraços, 
E nenhum se compara ao abraço teu. 
Ai como eu quero estar ao teu lado 
cheirar o teu cangote e te mostrar meu bem-querer 
Te ouvindo os Doces Bárbaros cantar
Fazer um cafuné e depois adormecer. 

Eu quero tu aqui comigo, meu bem
Me oferecendo carinho,
vem de mansinho pra não assustar,
No teu abraço vou me acalentar

Será que sou muito afobada?
Pensei estar em agonia...
Eu sinto esse sabor de saudade,
O meu desejo é te ver todo dia.

O ruim de te abraçar uma vez
É que a vontade nunca vai embora,
Ai como é bom amanhecer do teu lado
Tou te esperando, chega sem demora



MARA FARIAS

O TOCADOR DE BANDOLIM

*fragmentos da poesia 'PARA VOCÊ'




domingo, 11 de agosto de 2013

CATARINA

CATARINA ERA FEMINISTA.
TODO MUNDO ESQUECEU.
CATARINA FOI TAXADA DE FERA,
LOUCA, DESVAIRADA...
CATARINA ERA FEMINISTA.
NÃO QUERIA CASAR,
COMO TODAS AS FEMINISTAS
DE SUA ÉPOCA,
PEDIA DIREITO AO VOTO,
PARTICIPAÇÃO NA POLÍTICA,
EDUCAÇÃO E DIVÓRCIO...
CATARINA ERA FEMINISTA.
SEU PAI A CHAMAVA DE ENCALHADA,
SUA REPUTAÇÃO SERIA ESPALHADA,
CATARINA NÃO LIGAVA,
MAS TODO O RESTO DA CIDADE,SIM,
PARA TODOS ERA NECESSÁRIO CASAR
PARA ACALMAR SEU CORAÇÃO.
CATARINA ERA FEMINISTA.
CASOU-SE COM UM HOMEM DO INTERIOR,
BRUTO COMO ELA,MACHISTA...
ELE A AMANSOU, ENSINOU-LHE A LIMPAR,
COZINHAR, PASTAR, CALAR...
CATARINA CALOU-SE,EMUDECEU,
TORNOU-SE MULHER...
A MULHER QUE TODOS QUERIAM,
A MULHER RESPEITOSA E CALADA,
CATARINA ERA FEMINISTA …

MARA FARIAS





terça-feira, 6 de agosto de 2013

O COLORIDO QUE EU QUERO VER

Porque ao meu ver a vida deve ser colorida,
Eu nasci desse jeito que vocês veem,
Sem muitas parafernálias ou afins,
Vejo o hoje e o ontem,não parecem iguais,
mas vocês me querem assim!

NÃO SEREI!

Eu gosto da natureza,dos animais,
de ir ao cinema e trabalhar,
Meus amigos são especiais
Eu prefiro amar e amar...
E talvez eu não seja isso tudo,
Por morar em outro lugar,
Com pouco acesso ao mundo
De não ver a vida despertar...
O colorido que quero dizer não vou te esconder,
É amor,felicidade,saúde,saudade,trabalho e respeito,
Esse colorido é pintado de cores fortes, você precisa ver,
É política,polícia,pau e pedra,poesia,palavra,Projeto Popular,
Esse colorido que quero te falar,é a bandeira LGBT!


MARA FARIAS

quarta-feira, 31 de julho de 2013

PARA VOCÊ

Já troquei muitos beijos essa semana,
Mas nenhum se compara ao seu,
Sai procurando alguns braços,
E nenhum se compara ao abraço teu.

Ai como eu quero estar ao teu lado 
te fazendo cafuné e cheirando teu cangote,
Te ouvir cantar os Doces Bárbaros
e ter espasmos de alegrias...

Eu quero tu aqui comigo,
Me oferecendo carinho,
Vindo de mansinho,pra não assustar.

Será que sou muito afobada?
Pensei estar agoniada,
Querendo te ver toda hora,
Nem tentando te negar...

MARA FARIAS

* Para você sabe quem.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

FRASES DO TRAVESSEIRO


"O fato de que sou escritora: uma mulher escritora, não 

uma dona-de-casa que escreve, mas alguém cuja existência,
 
em sua totalidade, é comandada pelo ato de escrever."

Simone de Beauvoir 


Enviado pela companheira Ana Luz,amiga de todas as horas...

O BERIMBAU



Um instrumento de apenas uma corda faz esse barulho...

Bizorim doidão – bizorim doidão...

Ele veio com as caravelas, a África era sua terra,com a força da gente negra,
Escravos,presos em porões, como animais,propriedade do patrão,

Bizorim doidão – bizorim doidão...

É ritmo de samba,canto de Ossanha, é capoeira na poeira do terreiro,
É música criada pra batalha, pra festa da colheita e pra criança que nasceu,

É RITMO...É RITMO...DE PRETO!

Esse instrumento alimenta a alma do mestre da roda,
tem o cuidado com a corda e o couro que vai usar,
Autodidata,aprende com o ouvido,não falha
O berimbau anima a festa de quem quer dançar.

MARA FARIAS


terça-feira, 23 de julho de 2013

ILUMINAR



E sem ter muito no que pensar
vi a lua me iluminar,
parecia um grande farol,
a trazer boas vibrações...
Olha que coisa interessante
A lua grande lá no morro,
A quebrada se incendeia 
com o brincar dos garotos.
O povo fica até tarde
conversando a felicidade,
tem pagode lá na esquina,
a lua é a cena de namoro do
menino e da menina.
A lua traz saudades 
de coisas bem vividas,
De amores e festas boas,
E também a crueldade 
de noites mal dormidas,
De tristes partidas 
e pessoas veladas,
A lua cheia iluminada 
É vela de sétimo dia 
que quase não se apaga...

MARA FARIAS




domingo, 21 de julho de 2013

A palavra é AMOR

Hoje meu humor mudou,
Deu vontade de escrever,
Resolvi falar de amor,
e não me chamem de boba
ou de quem não tem o que dizer,
vieram palavras bonitas a minha boca
e eu preciso me expressar...

Pode não soar libertário,
mas quero só falar!
quero falar desse sentimento 
que paralisa o olhar...

Veja bem pessoa amada,
O amor é algo bonito,
É sentimento que não disfarça,
É dizer ao pé do ouvido 
que ama e quer bem!
É sentimento dado a todo mundo,
É fazer recadinhos de amor,
Deixar o outro mudo...

Amor não é briga
é crítica e autocrítica,
Amor deixa livre
a vida que o outro quer,
Amor não é violência contra mulher,
Amor não é da novela nem submisso,
Amor é sentimento esquisito,
É coisa que dói e acalma a alma...

MARA FARIAS



quarta-feira, 17 de julho de 2013

SUBSTÂNCIAS MALVADAS

Trago dentro de mim tristeza
uma tristeza que parece não acabar,
parece formiga de roça
corroendo meu coração até sangrar.

Eu choro de angústia, de medo e solidão,
Choro com o que a vida trás,
Eu não sei como pisar esse chão
sem sentir o que o outro me faz.

Talvez inocente ou desacostumada 
com os atropelos do pensar,
eu temo substâncias malvadas
que não adianta comentar...

Temo o que é grande para um só resolver
Mas parece que você não vê,
E faz tudo errado pensando ser o certo,
Há momentos que tenho medo de você!

E podendo fazer uma força maior 
na labuta organizada,
você vem fazer motim 
contra companheirada. 

A substância malvada você sabe quem é,
Ela está bem instrumentalizada, 
Usa o que a gente não tem,
Vamos unir a força do povo
que o novo sempre vem!

MARA FARIAS










O QUE A GENTE SENTE



Dentro de mim há um embrulhado de alegria e tristeza,
Alegria a gente mal entende quando tem, 
Tristeza mata e quase não nos deixa,
Ai como eu seria feliz vivendo no querer bem!

Alegria é sentir amor de todas as maneiras,
É sentir o pulsar dos músculos a sorrir
E buscar nos outros o culto as brincadeiras,
Alegria é nada mais que estar aqui.

Tristeza é goto na garganta,
é chorar toda madrugada,
estar triste é não falar na janta,
e escutar música sem graça.

Alegria é nostalgia, lembranças da infância,
é ver fotos e cartinhas perfumadas,
Alegria é brincar como criança 
na lama,na grama,na calçada...

Tristeza é confusão no cérebro, 
é sentimento mal resolvido,
talvez  vontade de fazer sexo
ou falta de dar um grito.

Alegria é ver o amigo contente
com o que estiver sentindo,
é partilhar o que sente 
com os melhores amigos.

Tristeza não se dá nem  partilha
tenta-se guardar dentro da gente,
Mesmo que morda como formiga,
Numa hora passa a agonia que sente.

Alegria eu quero sempre sentir,
jogar os cabelos no vento,
ver o sol nascer e a lua partir,
Alegria é sonho sem tempo.

MARA FARIAS

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Ficar calada é o mesmo que agredir

Ao pegar a condução, vi um garotinho de quase 10 anos,
Era pequeno e esguio,brigava na rua, voltava da escola,
estava com o caderno nas mãos,e calçava um sapato de salto alto,
Seu coleguinha mostrava-se raivoso por ele estar com aquele calçado,
Mostrava a raiva de uma sociedade machista.
O menino de salto corria e gritava
e pedia ajuda as pessoas que estavam na calçada,
Mas todos olharam como uma brincadeira inocente de crianças.
Fiquei calada mesmo sabendo o que poderia acontecer,
Fiquei calada sem saber o que dizer ou fazer,
Não para os meninos,mas para eu mesma!
O garotinho de salto alto iria apanhar,
Sem saber o motivo exato da discórdia...
Porque?
O outro depois de saciar a justiça
voltaria para casa também sem entender,
Talvez dissesse aos pais que na escola tem um ''viado'',
Mas não explicaria sua raiva total.
Possivelmente,o que apanhou não irá mais para escola de salto
e negará a sua orientação para não ferir os colegas,
mas estará ferido por dentro acreditando ser o errado.



MARA FARIAS

*Em um dia que me deixou sem dormir.



sábado, 22 de junho de 2013

A COR DA MINHA ROUPA



Me rasgaram por inteira,
Me queimaram e escarraram,
Eu estava com vocês o tempo todo
Mas não me viram...

Feriram a minha identidade,
Os meus desejos e angústias,
A minha vontade era coletiva
mas o teu individualismo me matou.

Estou com medo de me vestir,
Estou com medo de sair por aí,
Eu tenho medo de quem manda você
atirar para o lado errado.

A direção não é essa,
Olhe para os lados,
Veja quem te espreme como laranja,
Não sou eu,nem meu nome.

Meu nome é LUTA,
Meu nome é RESISTÊNCIA,
Eu tenho PARTIDO
Não de ir embora,
Mas de estar ao seu lado,
Mais uma vez eu digo:
- TOMEI PARTIDO!

MARA FARIAS

terça-feira, 18 de junho de 2013

ESTÁ EM TODA PARTE


Não,o gigante não estava adormecido,
O gigante sempre lutou,
Desde a vinda das caravelas do pacífico,
Até a organização dos movimentos populares...

A LUTA NUNCA SESSOU!

A busca por direitos,
A luta ideológica,
A construção dos guetos,
A inversão da nossa história.

Os camponeses de foices e facões:
Palmares,Canudos, El Dourado dos Carajás...
As mulheres gritando por liberdade:
Sindicalizadas,estudantes,Maria da Penha...
A juventude está na luta diária,
Por vida, justiça e memória!

O gigante sempre esteve acordado
Mas a mídia é reacionária,
Mente contra nossa gente,
Está do lado da burguesia.

Sim!O povo está organizado
com pauta permanente...
Somos contra a redução dos salários,
e o aumento da passagem do transporte,
Não queremos alimentos caros
Nem preconceito aos pobres...

Queremos transformar a nossa nação,
Com todo mundo que quiser lutar,
Vamos debater a casa,a praça,
A escola,o milho,a televisão,
Lembrar os que passaram
e não perder o sonho de mudar.

MARA FARIAS




FOI ASSIM QUE ACREDITEI

Sim!
Foi esse amor que escolhi,
Foi nessa história maluca que resolvi entrar,
Foi assim que me apaixonei...


Sim!
É com você que quero andar,
Caminhar de mãos dadas
Até o dia clarear ...

Eu penso em você a todo momento,
Eu te escrevo longas cartas,
Falando das diversas formas de como chegar a você...

Não é difícil para mim que ama a vida,
mas gosto de te encarar como algo não fácil,
te alcançar com vontade é o que me fortalece sempre!

Sim!Sim!SIM!SIM!
Eu amo você com todas as forças de um ser humano!
Eu amo te enxergar nos olhos das crianças,
No brilho da juventude que dança e canta,
Eu te vejo em prosa e verso....

Sim,camaradas!
esse sonho não acaba porque sei que é com vocês que estou,
Sei que somos muitos sonhadores,velejando pelo mundo...
acreditando nesse amor ofertado em grande quantidade,
É sim!Somos muitos!
Vivendo,amando e querendo o transformar de dias fervorosos!


MARA FARIAS

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Levante todo dia!

Hoje escutei uma canção que me emocionou,
Eu nem havia percebido,
mas estava presa ao tarefismo
e a mística não me invadia mais,
Essa canção tornou a esquentar-me
de ânsia, ousadia e vontade,
Foi como um furação que abala toda cidade.

Parecia que ela dizia o tempo inteiro:
- Ei garota!Acorda!Levanta!
O dia já amanheceu!
Essa canção me alvejou de esperança e alegria,
E quando esse sentimento nos invade
a gente faz tudo com mais gosto e prazer...

É...Essa é a força e a beleza do Projeto Popular,
É  a força da juventude que usa lutar,
É a força que eu sempre quero ter
porque longe ou perto
eu sei que há pessoas com o mesmo querer.

MARA FARIAS

https://soundcloud.com/levantepopularjuveutudepe/levante-se

terça-feira, 30 de abril de 2013

A MÁQUINA HUMANA




Todos os dias ouço o som das máquinas,
É o corpo dos trabalhadores que se movem,
todos os dias... Dia e noite...
Em um movimento frenético,
Acordam,pegam condução,
trabalho - trabalho - trabalho
TRA - BA - LHO...

- Mulher,cuida da criança!
Arruma a casa, dorme?
A classe acorda novamente
para a labuta diária...

Ouço sempre a conversa de reclamação,
Trabalho, falta de ... tantas coisas,
Tem barulho de cansaço,
Eu sinto a dor da opressão.

Esse maio que vem todos os anos
é marcado por muita luta,
É marcado na pele da mulher e do homem,
Tem cheiro de suor e gosto de sangue,
Esse dia não vem apenas para lembrar,
Mas trás em si as feridas do trabalhador,
esse dia vem nos transformar,
tirar a mais-valia de quem sempre nos explorou.

MARA FARIAS

Feito hoje,ouvindo a conversa de duas empregadas domésticas no ônibus.

VIVA 1° DE MAIO E A LUTA DA CLASSE TRABALHADORA!

INTERESSANTE DE ASSISTIR:

https://vimeo.com/23105830

segunda-feira, 29 de abril de 2013

O QUE TEM DO OUTRO LADO


Em cima do morro da minha quebrada
o mangue consigo enxergar,
Lá do outro lado,na outra quebrada
A meninada vê o mar.

Eu vejo as ruas planas aqui,
do outro lado são muitas ladeiras,
Mas uma coisa em comum que senti
É a criançada inventando brincadeira.

Aqui tem mestres da cultura popular
lá tem samba enredo, quadrilha,
hip hop, e não tem espaço pra dançar...

Aqui tem uma cabocla
com a mística de uma lenda,
Daquele lado tem um mito
que ilumina nossas crenças.

A primeira vez que pisei naquele lugar
senti que os conhecia a muito tempo,
era gente como a gente e pareciam diferente
porque eu nunca me atrevi a passar por lá.

Nunca passei porque disseram que lá não tinha nada
talvez dissessem o mesmo pra o povo de lá,
E todo mundo viveu com o mesmo medo
até o dia de as duas quebradas se encontrar.

O pôr do Sol é o mesmo dos dois lados,
vi o céu alaranjado, os pássaros sobrevoando
seus ninhos, a molecada voltando pra casa
sujos da areia da rua, do morro e da praia...

MARA FARIAS

sábado, 20 de abril de 2013

A DOR QUE EM MIM HABITA



Olhem minhas mãos açoitadas pela opressão,
Meus olhos estão vazados pelos gritos do carão,
E minha cabeça foi partida só por eu ter dito NÃO!

Foi criada em mim uma ferida
no rosto,nas pernas, no pulmão,
Esta ferida já está em minha alma
Partida,sofrida,doída...
Já corroeu a minha transgressão.

Esta dor talvez não saia de mim
E ande comigo para sempre,
Eu não desejo este fim
para uma vida independente.

A maldade que me ocorreu
Não alarmou toda sociedade,
Disseram que foi minha culpa
A causa dessa crueldade.

Então lhes pergunto:
- O que fiz para tal agressão?
Ainda não percebeu,meu bom puritano
que sou feita de tantas coisas bonitas
E em mim há consciência e emoção?...

MARA FARIAS


quarta-feira, 17 de abril de 2013

AO PASSAGEIRO DO 83





Sou uma estrela que anda de cadeira de rodas,

Quando entro no ônibus, todo mundo olha.

Não sinto as pernas, mas tenho as mãos,

Eu penso, vejo,ouço e ainda sinto o coração.


Oi passageiro, não me olha como coitado!

Eu sou tão criminalizado por esta minha condição,

Já não tenho tanto espaço nessa sociedade segregadora...

Veja com maus olhos o empresário que aumenta o valor da passagem

e nos esmaga todos os dias com sua ganância opressora.



MARA FARIAS

PARA UM CARA QUE NÃO SEI O NOME,MAS TODO DIA USAMOS O MESMO ÔNIBUS.

domingo, 31 de março de 2013

O GOLPE CERTEIRO




Quantas vezes me mataram
com palavras sujas de lama?
Quantas vezes me mataram
nas ruas lavadas de sangue?
Quantas vezes me mataram
com um golpe certeiro
de fuzil frio... no peito?
Quantas vezes me procuraram
em páginas do folhetim diário?
DESAPARECIDA!PROCURA-SE!
ONDE ESTÃO MEUS FILHOS?
Ai de quem fale sua opinião,
Ai daquele que olhar de lado
e ver a contradição...
Quantas noites dormi no escuro
e cantei pra te acalmar?
Te abracei como quem embrulha
um filhote e dividimos a pouca comida,
e por ter sobrevivido não somos privilegiados,
Ainda lembro os gritos dos mortos e desaparecidos,
dos amigos torturados...
Mas ainda canto com fervor a canção que me deixaram,
É a canção da esperança cantada por aqueles que tombaram,
É a canção da esperança cantada por aqueles que ficaram,
É a canção da liberdade cantada por aqueles que acreditaram,
É a canção da juventude que cantam por aqueles que lutaram.

MARA FARIAS

quinta-feira, 28 de março de 2013

ESCUTA

Ouça-me bem...
Ouça-me, por favor,
Ouça-me com respeito,
apenas ouça-me...

Quero te dizer só uma coisa,
bem simples e direta,
quero te falar uma constatação,
Não aguento mais essa espera,
vou te falar antes que doa o coração.

Não fique triste nem me maldiga,
não pense que sou má,
nem fale malcriações,
só quero antes te falar...

Olha...está ouvindo?
Eu estou do seu lado,
ou não me percebes?
Solta essa tecnologia
e olha em meus olhos!

Acredite!mude tua visão,
Não me sinto sua,
você quer que tudo em mim seja seu,
Mas não é assim,meu irmão,
Esse corpo é meu!

MARA FARIAS





quinta-feira, 21 de março de 2013

Negra, com orgulho e mais um pouco




Eu sou negra, morena não!
Eu sou negra ponto,sem vírgula,
sem reticência...
Eu sou negra sem padrão,
Com swingue ou não.

Eu sou negra de cabelo crespo,
liso,cacheado ou trançado,
Eu sou negra...
Eu sou negra com todas as opressões
que um estado burguês pode dar,
Eu sou negra e quero na universidade entrar,
Eu sou negra e quero ver a negritude liberta.

Quero ver o preconceito longe de mim
e dos outros também...
Quero ver o ecoar do candomblé
bailando nas praças,
Quero ver meu nêgo chorar de alegria,
e não a tristeza da vida sofrida...

Eu sou negra, minha gente!
Eu vim lá da África
trazida no grande navio
me fizeram escrava
no trabalho, sexual e mercantil,
Enxerguei a resistência
e lutei, e lutei,luto,lutarei
até o povo viver a verdadeira liberdade!

Mara Farias